Apoio

      

Realização:

 

 

Redes Sociais

            

 

Cadastre-se

Home

O Percurso do PET/Psicologia/PUC-SP

 

O PERCURSO DO PET/PSICOLOGIA/PUC-SP NA ARTICULAÇÃO
ENSINO/PESQUISA/EXTENSÃO EM REDE SUBSTITUTIVA DE SAÚDE
 
ANGNES, Karla1; COURI, Mariana Cymbaluk1; GOMES, Maria Lívia Leite de Abreu1;
MANFRINATO, Livia Salati1; VALEZIN, Gustavo Schunck Klein1 KATO, Regina Aiko
Fukunaga2
 
1 Bolsistas do PET Psicologia da Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP);
2 Tutora do PET/Psicologia, Professora Associada da Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde da PUC-SP.
Grupo PET/Psicologia, PUC-SP, Unidade Perdizes.
Email: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. e Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.


INTRODUÇÃO

O grupo PET/Psicologia/PUC-SP destacará na apresentação oral, em que medida tem se mantido alinhado com as propostas do Programa, viabilizando para os bolsistas a experiência indissociável da tríade ensino/pesquisa/extensão em equipamentos de referência em políticas públicas da cidade de São Paulo e exporá como se dá a parceria com a Secretaria Municipal de Saúde/Sudeste para o estudo

da modalidade de atendimento denominada Centro de Convivência e Cooperativa (CECCO). Tais centros viabilizam a convivência entre indivíduos com algum tipo de vulnerabilidade e a população geral. O CECCO é um equipamento da rede substitutiva de saúde mental da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, voltado para o atendimento primário de saúde, segundo Normativa de Ações (1992).

Lopes (1992) diz tratar-se de um novo modelo assistencial de saúde de compreensão holística do homem, da real penetração na cadeia determinística do sofrimento humano; construindo um Modelo Assistencial de Saúde Mental articulado a uma nova ética e a um novo paradigma de saúde, que dá enfoque não à doença, mas à Qualidade de Vida de seus freqüentadores, de forma a não estigmatizá-los.

Nas atividades de extensão, em conjunto com a equipe profissional do equipamento, os bolsistas  laboram a atividade de pesquisa, levantando elementos relevantes a serem investigados e delineando projetos com problemas de pesquisa definidos e advindos do cotidiano com usuários e funcionários. Os resultados da pesquisa possibilitam reflexões sobre a prática profissional que é trazida para a IES e propostas na forma de Oficinas ou Mesas de Discussões com os alunos, professores e funcionários da graduação e da Universidade em geral, como atividade de ensino.

 

OBJETIVOS

 

O grupo pretende destacar como realiza o desenvolvimento da tríade pesquisa/ensino/extensão na proposta do PET, relatando suas atividades num Centro de Convivência e Cooperativa da Secretaria Municipal de Saúde de S. Paulo. Além de destacar a relevância dessa modalidade de atendimento que está alinhada às políticas públicas de saúde mental e ao Programa Nacional de Humanização

(PNH) do Ministério da Saúde.

 

MÉTODO

 

O grupo utilizará como estratégia de apresentação, a exposição do processo da montagem de pesquisas realizadas em Centro de Convivência, desde o processo de levantamento do problema de pesquisa, fundamentação teórica e método empregado, expondo dados das duas primeiras pesquisas finalizadas no equipamento em 2008/09 com delineamento qualitativo e o percurso do grupo até o delineamento quantitativo nas pesquisas subseqüentes.O grupo fará uma exposição do método quali-quantitativo que atualmente emprega para coleta e discussão de resultados. Serão apresentados dados coletados em 2010/11, que foram adquiridos através dos seguintes instrumentos: questionário elaborado pelo grupo, o WHOQOLbref da Organização Mundial de Saúde (OMS), e o ABA/ABIPEME.

 

RESULTADOS E DISCUSSÃO

 

Considerando 3 pesquisas finalizadas e uma em andamento a saber: 2008/09-Estudo sobre o brincar de crianças em vulnerabilidade 2008/09-Estudo sobre Vulnerabilidade e Grupos Heterogêneos nos CECCOs

2009/10-Qualidade de Vida: uma questão de humanização do atendimento à saúde 2011/12-Indicadores Baseados em Qualidade de Vida (QV) para Centros de Convivência e Cooperativa (CECCOs).

O grupo exporá como o resultado desta experiência criou oportunidades em termos de abrir as perspectivas para a montagem de novos projetos de pesquisa a serem realizados em parceria, trazendo respaldo científico para algumas das práticas do serviço e demonstrando por meio da pesquisa, tanto sua eficácia quanto os pontos nos quais há necessidades a serem trabalhadas.

O grupo pretende destacar a importância da atual pesquisa neste ano em que a modalidade de atendimento completa 20 anos de existência, subsidiando-o com dados de pesquisa com delineamento científico.

 

CONCLUSÃO

 

Considerando-se que todas as pesquisas concluídas foram apresentadas na forma de relatório escrito e comunicação oral para integrantes/ gestores da Secretaria Municipal da Saúde, concluiu-se que: o impacto da atividade articulada na forma de tríade foi positivo na medida em que seus resultados e conclusões repercutiram na própria política pública relativa ao tipo de serviço em questão, tanto no que se refere às suas práticas propriamente ditas quanto na forma de relacionamento da secretaria com o PET/Psicologia devido à importância da atividade de pesquisa acerca do cotidiano do serviço; outros desdobramentos foram as aprovações para novos protocolos de pesquisa nos anos subseqüentes.

 

REFERÊNCIAS

 

LOPES, I. C. Centros de Convivência e Cooperativa (Cecco´s): alternativas de liberdade. Revista Desbordar, Buenos Aires, 1992, p.33-35.

PMSP/Prefeitura do Município de São Paulo/Programa de Saúde Mental.

Normatização das Ações nos Centros de Convivência e Cooperativas Municipais.

São Paulo, 1992.

Últimas Atualizações

As mais lidas

Cecco Ibirapuera

 

 

Projetos

Projeto Crer Ser